De ponto a ponto, Thiago Bianchini deixa sua marca na arte brasileira.
 
Com desenhos de personalidade, o ilustrador e designer gráfico nos encanta com obras detalhistas de um estilo de vida onde homem e natureza crescem juntos de forma harmônica e consciente. Venha conhecer o dono desse traço em nossa entrevista completa:
 
1. Antes de tudo, conte-nos um pouco sobre você: hoje, quem é o Thiago Bianchini?

Sou um ilustrador e designer gráfico, apaixonado por natureza, vida ao ar livre, arte e biologia. Não me imagino fazendo nada diferente do que faço hoje.
 
 
2. Como foi seu início e suas primeiras "aventuras" na arte? E quando você conseguiu enxergar que era isso que queria fazer para a vida?

Sempre desenhei desde criança. A escola foi um tédio, minha fuga era desenhar usando os cantos das folhas e papéis extras que eu levava sempre comigo. Gostava de criar carros, redesenhava personagens de quadrinhos, duendes e coisas que crianças normalmente gostam de desenhar. Quando entrei na adolescência, pesquisava livros, artistas e diferentes técnicas de arte. Tudo mudou quando estudei ilustração e me foram apresentados como referência artistas como Boris Vallejo e Julie Bell. Ali eu comecei a entender a importância de ter um estilo próprio e que só teria resultados com muita dedicação.

Referência do trabalho de Julie Bell e Boris Vallejo . Esquerda: Peacock and firebird. Direita: Her Happines
 
3. Seu estilo pessoal apresentado no Instagram tem muita personalidade e é bem diferente do que encontramos por aí. De onde vem a inspiração de traço e elementos para essas composições?

Demorei muitos anos para desenvolver o que é o meu estilo hoje. Eu sempre busquei fazer um desenho 'clean', que tenha até mesmo um aspecto de não parecer finalizado. Tudo é proposital. Às vezes, gosto de deixar algumas marcas de lápis. O preto e branco é fundamental, deixo livre para as pessoas imaginarem como seriam as cores daquele ambiente, ou daquele personagem principal da ilustração. Se torna algo interativo e de fácil entendimento. O mundo hoje ja é muito corrido e cheio de informações. Meus desenhos são um convite para as pessoas apreciarem o tempo e o conteúdo da mensagem que quero passar, de forma sutil e agradável, mesmo que alguns desenhos sejam, de certa forma, mais agressivos.
 
 
 
O casamento entre os elementos dão maior realismo e narrativa à ilustração.
 
4. Como é seu processo criativo?

Sou workaholic assumido, mas considero o meu trabalho um hobby. Seja um trabalho para um cliente ou seja um trabalho pessoal, eu tenho o mesmo prazer em desenvolver. Costumo acordar cedo e não tenho hora para parar. Quando não estou desenhando, estou pesquisando, principalmente em livros de natureza, histórias que envolvam animais e poesias.
 
Sempre quis ser biólogo, ainda carrego isso dentro de mim, o que reflete intensamente em meu trabalho. Viajar é a minha maior fonte de inspiração. Encontrar animais selvagens, fazer trilhas, apreciar o silêncio que a natureza proporciona. Acalma a mente e as ideias vem naturalmente. Mesmo morando em uma cidade grande, tento me isolar ao máximo para ser produtivo e manter a intensidade do meu trabalho.
 
Um momento introspectivo para alimentar as ideias. Thiago usa suas viagens para se inspirar na composição seus desenhos.
 
5. Sobre seus materiais de trabalho, vimos que você que usa muito as Copic Multiliners, qual a importância delas para seus projetos?

Passei muito tempo pesquisando materiais definitivos para fazer o que faço. O que é mais interessante nas Multiliners é poder ter traços com extrema precisão. As 0.05 e 0.1 são ótimas para o pontilhismo que uso na maioria dos desenhos. O rendimento das cargas é impressionante. Os papéis da Copic também são muito bons, comecei a usar este ano e não deixam nada a desejar para os outros que eu costumo usar.
 
 
 
6. Qual foi o seu projeto mais desafiador?

Tive muitos projetos desafiadores, mas o maior de todos foi criar uma ilustração exclusiva para um evento da ONU. Esta arte seria exibida no mundo todo e, inclusive, em alguns canais de tv, como CNN. Foi sobre o sofrimento das crianças em países em guerra, como a Síria. É doloroso imaginar essas crianças perdendo a infância, correndo de bombas e balas, ficando órfãs sem entender o motivo. O mundo é um lugar hostil para a maioria das pessoas e conseguimos perceber que isso não ocorre somente em países em guerra, mas no mundo todo, inclusive no Brasil.
 
UNITED NATIONS ARTWORK. Projeto desenvolvido para a ONU. A obra completa à esquerda e no detalhe à direita.
 
7. Como é sua rotina hoje? Como é conciliar criatividade com o dia-a-dia?

É difícil desvincular, estou sempre estimulando minha criatividade, anotando ideias, criando poesias, visitando livrarias ou planejando uma viagem com a minha esposa. Não gosto muito da vida na cidade, não consigo tirar muitas referências, mas faz parte do cotidiano. Odeio o som de carros, buzinas e de pessoas vivendo como se não houvesse amanhã. Quase ninguém liga para ninguém. Mas, as vezes, o contraditório também serve como inspiração.
 
8. Quais são seus planos e projetos para o futuro?

Continuar desenhando no ritmo de hoje e poder lançar muitos livros com todos os meus trabalhos. No futuro, criar algum projeto para passar o meu conhecimento para crianças com menos oportunidades em qualquer lugar do mundo.
 
Através dos meus desenhos, conscientizar as pessoas da importância de cuidar da natureza ou do que sobrou dela. Mostrar que, mesmo ao redor das grandes cidades, animais selvagens lutam para sobreviver. Essas coisas não ensinam nas escolas, ainda mais nos dias de hoje, onde a maioria das crianças prefere um video game em vez de passear em um parque com animais e ter uma vida mais saudável ao ar livre.
 
Thiago sabe usar suas paixões como referência: natureza, animais e muita arte.
Cada ilustração uma história.
 
9. Que dicas e conselhos você daria para os novos ilustradores que nos acompanham?

Nunca desista dos seus objetivos. Se quer viver de arte, se dedique de 8 a 12 horas por dia. Busque inspirações em todas as coisas possíveis, pesquise muito. Não se cobre, apenas treine. Seu estilo pessoal vai vir naturalmente. E não se esqueça de se divertir durante todo o processo!


Ficamos lisongeados e ainda mais apaixonados pelas ilustrações do Thiago! Acreditamos que a arte fica ainda melhor quando descobrimos o que se passa na mente dos artistas em seu processo criativo; suas referências, agonias e soluções na transmissão de sentimentos para nós.
 
Queremos agradecer ao Thiago, por nos disponibilizar tempo e ter sido tão receptivo conosco. Ficamos honrados pelo carinho e feliz por descobrir o que move esse grande artista brasileiro.



Thiago assinando alguns de seus trabalhos.


Mais um pouco de suas obras:
 


Encontre mais do trabalho do Thiago :
Facebook, Instagram: @thiago_bianchini ou o e-mail para contato: thiagoartworks@gmail.com

 
Gostou da entrevista? Quer conhecer mais sobre algum artista? Deixe seu like e seu comentário!
 
Até a próxima