Veja a imagem acima e responda: dá pra acreditar que foram usadas apenas 3 cores da Copic? Pois é… E nesse post vamos contar o segredo pra ter poucas canetas e uma possibilidade quase que infinita de combinações para seus desenhos.

A arte em questão é do artista alemão Vince Okerman para um vídeo no seu canal no Youtube chamado de 3 Marker Challenge (desafio dos 3 marcadores). No caso, as cores escolhidas foram a BG23, R43 e Y35. Ainda não acredita? Confira o vídeo!


O segredo para ter essa variedade de tons com poucas canetas está na transparência da tinta da Copic. Assim como na aquarela, as cores da Copic podem ser aplicadas em camadas sobrepostas, se somando umas com as outras. Dessa forma, com as 3 cores escolhidas ele consegue pelo menos mais 3 combinações, totalizando 6 cores. Veja abaixo:
Cores usadas pelo artista Vince Okerman. Repare que além das combinações diretas entre as cores (imagem à esquerda) ainda é possível obter degradês e nuances intermediárias entre elas (imagem à direita), dando a impressão de que foram usadas ainda mais canetas no desenho.

Se com 3 canetas você pode ter pelo menos 1 dezena de tons diferentes, imagine o que da pra fazer com as 358 da Copic! Fizemos uma estimativa de pelo menos 100mil tonalidades diferentes!
Agora que você já sabe que poucas canetas são suficientes para criar desenhos multicoloridos, sabe também que uma coleção de Copic não precisa ter todas as cores. Com um pouco de dedicação, você pode montar uma paleta de cores compacta, racional e que vai servir para muitos e muitos desenhos. Para isso, utilize o Círculo Cromático da Copic (faça aqui o download) e pense nas cores que mais gosta.
 
Como sugestão inicial, descarte as famílias de cinzas (W, C, T, N) e os tons de pele/terrosos (família de cor E), pois esses tons são facilmente alcançados ao misturar cores diretamente opostas da tabela.

Para exemplificar, selecionamos 3 cores primárias bem vivas:
O resultado não poderia ser diferente de um arco íris bem saturado.

Neste segundo exemplo, selecionamos cores mais claras e aumentamos a quantidade para 4 canetas:
Com apenas 4 canetas, temos um total de 10 tonalidades. Sem contar as infinitas misturas entre elas.

Na imagem abaixo, você pode ver as cores selecionadas no primeiro exemplo (círculos vermelhos), e as cores selecionadas no segundo exemplo (círculos azuis).
Repare que, para maximizar a possibilidade de tons intermediários, selecionamos cores bem distantes entre si no Círculo Cromático.

Repare também, que no segundo exemplo inserimos uma quarta cor (YR01) entre os amarelos e rosas para facilitar a mistura entre eles. Às vezes, a mistura entre cores muito distantes pode exigir um pouco mais de técnica. Nesses casos, inserir uma cor intermediária é sempre uma boa opção para facilitar.

Para finalizar, uma última dica: procure selecionar cores onde o último número (aquele que representa a intensidade/brilho da cor) seja próximo. No exemplo do Vince temos BG23, R43 e Y35 e nos outros V05, B04, Y06 e B01, RV02, YR01 e Y02 respectivamente. Cores com intensidade/brilho próximas irão permitir uma mistura mais homogênea. Para saber mais sobre como funciona essa classificação do código das cores veja esse artigo (http://www.dezaina.com.br/artigo/17)

Esperamos que tenham gostado. Até a próxima!